[Meu Facebook] [Meu Last.FM] [Meu Twitter]


 

 

Kaio

 

Veja meu perfil completo

 

 

 

 

15 fevereiro 2006

Soy loco por ti, América?!

A América Latina é o quintal do Primeiro Mundo. Se analisarmos sua história, perceberemos isso. Numa colonização cheia de erros, como aplicar um mercantilismo imediatista e sem planos a longo prazo, que prejudicaram também as próprias metrópoles, Portugal e Espanha, que hoje são quase que uma periferia da UE. Já se percebia que as coisas não dariam muito certo por aqui.
Some a isso os jesuítas, que sempre condenaram o negócio e o trabalho, que seriam determinantes para um desenvolvimento do capitalismo. Como se não fosse o bastante, após a independência das colônias, no século XIX, se seguiram várias ditaduras, principalmente as de militares, sendo que algumas ocorreram até bem pouco tempo atrás (a de Pinochet acabou em 1990).
O mundo entrou na globalização nos últimos 20 anos, com a hegemonia do capitalismo e a doutrina neoliberal (que de liberalismo não tem praticamente nada, já que várias práticas keynesianas, como os oligopólios, foram mantidas). Contudo, parece que o Muro de Berlim não caiu por essas terras. Nos últimos seis, sete anos, se observou um notável crescimento dos partidos de esquerda.
No Chile, os socialistas buscaram um discurso moderado e reformista, e foram reeleitos recentemente. Aliás, talvez seja o governo 'canhoto' que mais vem funcionando no continente, regido a altas taxas de crescimento, baixos juros e, por incrível que pareça, a aprovação dos EUA. Na Argentina, Néstor Kirchner conseguiu recuperar a economia com medidas populistas bem ao estilo dos peronistas, e, por enquanto, vem obtendo êxito.
Contudo, nos outros países, não é bem isso que se observa nas gestões esquerdistas. Cuba está há 47 anos sob a ditadura comunista de Fidel Castro, em que os avanços na educação, na saúde e nos esportes são ofuscados pela falta de liberdade e o fracasso na economia e na alimentação. Na Venezuela, Hugo Chávez vem fazendo uma administração bem turbulenta, cheia de mandos e desmandos e provocações aos Estados Unidos. Percebe-se que ele é um protótipo de ditador nos seus discursos nacionalistas, demagógicos e exaltados. No Brasil, em 2002, após três tentativas malogradas, o PT, finalmente, conseguiu ganhar a eleição presidencial, elegendo o ex-líder síndical Lula. O governo conseguiu estabilizar a economia, mas a custo de muita ortodoxia, juros elevados, alta carga tributária e crescimento pífio. Na área social, predomina o assistencialismo; a política diplomática é repleta de erros; ocorreu um cisma no partido, gerando a dissidência radical (e intransigente, diga-se de passagem); isso sem falar na crise política, com governo e aliados afundados em denúncias (e provas) de corrupção, em escalas bem maiores do que as registradas na gestão de Fernando Collor.
Mas parece que a irregularidade da administração petista não foi suficiente para impedir um surto esquerdista na América Latina. Além da 'esquerda festiva' e cheia de discursos anacrônicos que freqüentam o Fórum Social Mundial, também tivemos a eleição de vários políticos que se diziam "lulistas". Na Bolívia, Evo Morales foi o primeiro índio que chegou à presidência do país, e seu despreparo é tamanho que seu programa de governo se resume à promessa de estatizar a produção de gás natural. O uruguaio Tabaré Vásquez representou a centro-esquerda contra os blancos e os colorados, e venceu. E no México e no Peru, os candidatos com discurso radical e anti-EUA estão entre os favoritos nas pesquisas.
Talvez os latino-americanos não querem ainda embarcar na pós-modernidade e na globalização, e é sinal dessa obsolência a vitória de políticos populistas e nacionalistas/socialistas. O discurso "contra Bush, o imperialismo, as corporações, o neoliberalismo e as elites reacionárias" parece ter encontrado eleitorado. O atraso permanente da região é evidente, ela sempre está um passo atrás do resto do mundo. O socialismo morreu, mas a hipocrisia e a farsa dos marxistas (e adjacências), ainda não.

 

Comentários:

 

 

Nem li, mas pra vc ter escrito um texto pequeno como esse, num deve ter sido pouca coisa q vc leu, eu qnd escrevo algo grande, é só enrolação =P
Só mostro o verdadeiro tema no final, como se fosse dar uma reviravolta na historia...


Ah e como estou sem msn, e meu orkut tá akela maravilha... Vou agradecer aki msm os comentarios la no meu blog, Valeu!


hahah!! Eu odeio fazer os comments de chat, mas "turma do didi" foi demais, hahah...
Sim, relacionado ao post, eu estou com um livro bem legal sobre a história oculta do Brasil...
“Há duas histórias, a oficial, mentirosa, "Ad Usum Delphini", e a secreta, em que estão as verdadeiras causas dos acontecimentos, história vergonhosa”.
(Balzac, Les Illusions Perdues – t.III)


"Talvez os latino-americanos não querem ainda embarcar na pós-modernidade e na globalização"

Isso explica o porque conservadores terem se reunido tanto na esquerda (sem nem perceberem que são conservadores).
Um governo liberal, de direita, de verdade, acabaria com o Estado paternalista de Getúlio Vargas.
O que chamam, por exemplo, de "conquistas trabalhistas", não passa de um ato autoritario de um politico conservador e fascista, o que a esquerda vem fazendo é justamente formas de manter o Status Quo intacto.


Postar um comentário

[ << Home]