[Meu Facebook] [Meu Last.FM] [Meu Twitter]


 

 

Kaio

 

Veja meu perfil completo

 

 

 

 

13 fevereiro 2006

Meia-idade na adolescência

Momento "exactly who am I supposed to be".

Cansei de receber scraps do tipo "15 anos? Menino prodígio...", ou "15 anos e já lendo livros políticos? Poxa...", ou mesmo "Se eu tivesse seu gosto musical já aos 15 anos, cara...".
Normalmente, a pessoa acharia isso um elogio. Mas eu não sinto isso. Soa para mim como uma facada nas costas, uma constatação da minha incapacidade.
Explico o porquê.
Com quinze anos, não há quase nada a se fazer. É o ponto médio da adolescência. Se você for brincalhão e inconseqüente, dizem que você não é mais criança. Mas você também não pode ser adulto - não posso dirigir, não posso discutir sobre política sem receber respostas do tipo "você ainda nem vota", não posso ter um 'bom' gosto musical (porque não vou encontrar ninguém da minha idade que o tenha. Os moleques preferem Charlie Brown, Linkin Park, Simple Plan...), e, principalmente, não poder ir em festas para maiores de 16 ou 18 anos, que são justamente as melhores; ou você acha que eu prefiro ir em shows "sem restrição", que são das bandas patéticas e descartáveis, como Babado Novo,só porque lá tem garotas e maior 'interação social'? No way. Os melhores eventos, como open bar tocando pós-punk ou shows de bandas indies só ocorrem em points para "adultos". E nem adianta desculpas do tipo "sou mais inteligente que a maioria do pessoal que está aí" ou "pô, eu leio Nietzsche, sou um homem póstumo, posso entrar? =D".
Às vezes, eu queria ser só um pouco mais velho. Sei lá, ter 17 ou 18 anos. Minha vida social seria bem mais agitada, poderia ir em um monte de lugares bacanas, e discutir com a 'vanguarda cult' sobre política, existencialismo, Rock alternativo, etc. Poderia, quem sabe, fazer novos amigos e amigas que fossem como eu.
Mas não. Eu só tenho quinze, e não há nada a fazer. E ainda existe gente que me pergunta por que eu sou tão isolado e recluso. Mas é claro, para pessoas em situação semelhante à minha, é a única coisa a se fazer. Não encontro ninguém no colégio que possa discutir comigo. Talvez uns três ou quatro colegas, mas ou eles estão no terceiro ano, ou são do tipo pop, cheios de contatos e pessoas para conversar. Eu também sou popular no colégio, mas isso não significa encontrar amizades verdadeiras, mas sim babacas que te acham legal, engraçado e estranho.
Eu queria ser estúpido. Contudo, parece que tudo conspirou contra mim. Aprendi a ler com três anos, sempre fui o nerd/CDF/culto na escola, nunca tive muitos amigos, nunca namorei, nunca segui modinhas passageiras (se eu gosto de algo, é pra valer. Por exemplo, curto Pokémon e CDZ até hoje), desde a 4ª série sou fascinado por ciências humanas (e, conseqüentemente, política, literatura, história...) e um dos meus maiores hobbies desde criança é ler. Não os livros do Dan Brown ou Harry Potter, mas literatura de verdade.
Na minha família, praticamente ninguém é culto. Minha mãe só lê livros espíritas, e eu tenho uma tia-avó petista e idealista, porém muito inteligente (desculpem-me pelo sarcasmo quanto à esquerda =D). Mas, tipo, acho que sou o primeiro que seguiu realmente por esse caminho, por ser um (pseudo, semi, proto) intelectual. Há 2 anos decidi que vou cursar Ciência Política na universidade, e provavelmente não vou mudar de idéia até chegar o vestibular. Uso o PC não para inutilidades ou para passar madrugadas vendo filmes pornô, e sim para debater sobre assuntos interessantes com outros blogueiros, em fóruns e também no orkut, e para baixar música de qualidade (jazz, clássica, Rock das antigas, alternativo, pós-punk, indie...).
Tenho milhares de defeitos, muito mais do que qualidades. Sou chato, irritante, pedante, patético, auto-indulgente, contraditório, tenho conflito de personalidade, eu falo sozinho constantemente (inclusive ando de um canto para o outro enquanto o faço), sou extremamente arrogante e egoísta, além de muito egocêntrico (só ligo para mim, nunca dou bola para o que os outros dizem, sejam críticas positivas ou negativas - o que deveria ser uma qualidade, mas é um defeito, pois denota intransigência). Brigo verbalmente demais com as pessoas (não entro na pancada porque sou fraco e magricela, e porque acho que uma discussão pode ser resolvida com palavras). Mas não tenho nenhuma doença, nem esquizofrenia, nem TOC, nem epilepsia - talvez só hiperatividade. Minha 'loucura' é produto da minha mente insana mesmo, já que, excetuando-se cafeína (porque eu amo cappucino em lata e Coca Cola), eu não uso drogas. Não preciso de psicólogo, eu mesmo resolvo meus problemas.
Ainda assim, apesar de tudo, embora ocorra "isso" que eu relatei, eu me sinto feliz. Feliz porque eu me sinto forte, potente perante o mundo. Não tenho medo dos desafios do mesmo. Já larguei alguns dos piores males - o esquerdismo, a religião, o conformismo, a alienação. Queria ser mais velho, mas tudo bem. Tudo tem a sua hora.
E eu vou ler Nietzsche, Dostoievski e livros bons em geral, ouvir minhas músicas esquisitas, permanecer o mesmo mala anti-social de sempre e me preparar para o futuro enquanto esse momento não chega.

 

Comentários:

 

 

Esse texto foi quase uma auto-ajuda pra mim!
Na 8ª série, senti tudo isso, mas de um jeito pior, q nem não vem ao caso agora...Nessa época, nao falava com ninguem, mal participava das aulas, faltava mais q tudo, lia qql coisa como uma desesperada em busca de ajuda e consolo... Como me tornei um pouco sociavel? Pq comecei a rir das pessoas da minha escola: Emos, maloqueiros, mini-ladrões, putinhas e etc...
A vida se torna até facil qnd vc começa a aceita-la e nao tentar muda-la a qql custo(Queria poder seguir melhor esse conselho...)
Não digo q hj em dia sou só sorrisos, nao encontro ninguem pra conversar sobre Beatles, e a unica musica q o pessoal conhece é akela q toca no verão inteiro.É mto dificil ser uma "Sociavel sozinha".(Quem sabe no msn a gent possa conversar melhor sobre isso?)
Axo q nem eu, nem vc, nem pessoas como "nós" tem 15 anos de verdade...

(Nossa, como vc escreve hein! Imagina pessoalmente, deve falar pra caramba =P)

Ah e ja dando uma explicação... Vou voltar a ler consternações...


Nossa, nada a ver o meu comentario com o texto né? =P


Nossa, nada a ver o meu comentario com o texto né? =P


Preguiça de tirar foto, hã?
Vou "postar" aqui mais uma vez (mas a culpa é sua! hahah)...
Conheço muita gente, porque faço parte de muitas coisas, mas percebi que elas ficam desinteressantes à cada dia, salvo raras exceções que chamo de "amigos" - que são realmente poucos, uns 3 talvez.
Eu me acho sociável, pois "ser sociável" hoje em dia é manter aparências: ser educado, conversar com as pessoas, fazer discursos e tal... mas no fundo também me acho solitário.
Faço parte de uma família de músicos, só por isso tenho com quem conversar sobre meu gosto musical...
Gosto de ler também, mas conheço poucos da minha idade que o façam com tanta freqüência... por exemplo; apesar de toda a propaganda que fiz para meu blog, poucos amigos meus comentaram SOBRE OS TEXTOS...
deletei a maior parte de comentários do tipo: "SeU BlOgUiNhox TaH MasSa! HauHau... :*** ".
Mas eu não sou um nerd, muito pelo contrário, sou um cara irresponsável, que tem vários hobbies... até mais do que minhas mãos conseguem alcançar, oque me torna prolixo e fragmentado em quase todos os meus conhecimentos.
Em outras palavras: sou um demente orgulhoso que nem sabe se definir sem embolar o texto todo... hahaha


Postar um comentário

[ << Home]