[Meu Facebook] [Meu Last.FM] [Meu Twitter]


 

 

Kaio

 

Veja meu perfil completo

 

 

 

 

08 fevereiro 2017

A kiss of death, the embrace of life


Há exatos 40 anos foi lançado Marquee Moon, o primeiro álbum do Television e um dos meus favoritos de todos os tempos.
Esta banda foi uma das pioneiras da cena punk em Nova York, mas era muito mais sofisticada que seus pares: não partilhava das limitações estéticas dos três acordes e das canções de dois minutos; além disso, as letras reflexivas de Tom Verlaine e as canções longas e cheias de solos de guitarra dele e de Richard Lloyd se aproximam mais do rock progressivo e até do jazz.
Marquee Moon foi co-produzido por Verlaine e Andy Johns (que já trabalhara com os Stones e o Led Zeppelin); como as faixas estavam bem ensaiadas e foram gravadas praticamente ao vivo e com poucos efeitos, o disco tem uma sonoridade crua e direta que ainda soa bem atual.
A primeira faixa, "See no Evil", tem um riff contagiante e ótimos backing vocals. "Venus" possui uma verve bem romântica e envolvente. "Friction" é um petardo com letra sugestiva.
A primeira faixa, "See no Evil", tem um riff contagiante e ótimos backing vocals. "Venus" possui uma verve bem romântica e envolvente. "Friction" é um petardo com letra sugestiva:  "Well, I don't wanna grow up / There's too much contradiction / And too much friction (friction) / But I dig friction (friction) / We're both crazy 'bout friction".
A obra-prima de Marquee Moon é a sua faixa-título, uma viagem de quase 11 minutos com uma progressão sonora genial (a partir dos 4 minutos, quando a letra acaba, um instrumento vai entrando por vez até o clímax, com um duelo de guitarras) e com versos belíssimos; destaque para esta estrofe: "I spoke to a man / Down at the tracks / And I ask him / How he don't go mad / He said 'Look here junior, don't you be so happy / And for Heaven's sake, don't you be so sad'". Esta canção serviu de trilha sonora para vários momentos de minha vida, em especial andar a pé para a UnB nas férias de verão em Brasília, no ano de 2010.
"Elevation" é uma das mais dramáticas (por vezes as guitarras parecem chorar) e poderosas do álbum. "Guiding Light" é uma composição lenta e delicada. "Prove It" tem um refrão com paradas que aumentam seu clima de suspense: "Prove it / Just the facts / The confidential / This case, this case, this case that I... I've been workin' on so long..." "Torn Curtain" fecha o disco em clima grave e melancólico.
"Marquee Moon" foi um clássico instantâneo, e já em 1977 ficou famoso graças a uma longa e empolgada resenha de Nick Kent para a New Musical Express. A banda se separaria apenas um ano depois (devido a divergências artísticas entre Verlaine e Lloyd), mas não sem antes lançar o ótimo "Adventure". Marquee Moon foi relançado em 2003 com faixas bônus (dentre elas a pérola "Little Johnny Jewel") e continua influenciando bandas importantes, sendo uma delas os Strokes, cuja sonoridade - em particular as guitarras - em Is This It tem ecos de Television.

 

Comentários:

 

 

[ << Home]