[Meu Facebook] [Meu Last.FM] [Meu Twitter]


 

 

Kaio

 

Veja meu perfil completo

 

 

 

 

04 dezembro 2012

Oct-Nov

Resumo das últimas seis semanas:

22/10 - Na minha "matéria de Letras na UERJ", assisti a uma boa aula sobre Heidegger e "Ser e Tempo". Eis um trecho das minhas anotações de aula:
"O ato de ser finito é onde a cura se encontra. (...) Consciência de ser estranho ao mundo, de não ter 'vínculo estreito'; 'quero ser', germinar nas possibilidades. É a morte que dá a medida. A angústia permite [ao homem] ser livre. 'Vontade de potência' da cura. 'Origem' de seu ser-no-mundo na cura. (...) A cura como dedicação ('com os dedos'), desempenho, projeto lançado. Restauração da dignidade do homem enquanto ser na existência. Porém, não é uma relação de teoria e prática, não é em proveito de uma forma cultural/civilizatória, expressão externalizada. (...) É a interrogação que funda o pensamento, e a primeira delas é o Nada (ocidental) ou o Vazio (oriental)."

24/10 - Li em apenas uma manhã a principal tragédia de Christopher Marlowe: "A História Trágica do Doutor Fausto"). Cito aqui a soturna passagem final, após a queda do protagonista:
"Cortado o ramo está, que poderia
 Ter crescido direito, e estão queimados
 Os louros apolíneos deste sábio.
 Fausto morreu. Que o seu caso infernal,
 E desgraça, oh, prudentes, vos exortem
 A ficar pela mera admiração
 Perante o proibido, cujo abismo
 Aos audazes, como ele, incita a mente
 A fazer mais, que o jus do Céu consente."

Ando viciado em "How I Met Your Mother". Ainda falta muito para eu chegar na temporada atual, a 8ª (estou terminando de ver a 5ª); mas, no ritmo atual, creio que isso é uma questão de dias (ou semanas).
[Dias depois, em 6/11, terminei de ver a 6ª temporada. Decidi dar uma parada e ver outras séries, como "Community" (vi a segunda metade da excelente terceira temporada) e "Californication", que eu havia parado no 3x08. Aliás, no dia 27 terminei de assistir à season 4.]

25/10 - Baixei e vi "American Pie: O Reencontro". Talvez seja o melhor filme da série, ao lado do primeiro - porém, por motivos diferentes. Enquanto o 1º "American Pie" se destacou por renovar o gênero "filmes adolescentes de comédia com conotação sexual" (cujo ápice foi em meados da década de 80), com algumas piadas e cenas antológicas, "O Reencontro" tem como ponto forte a nostalgia (afinal, já são 13 anos desde a "primeira vez") e a auto-reflexão (cujo ápice é Chris "Oz", personagem quase autobiográfico para seu ator).
Há muitas daquelas cenas hilariamente constrangedoras que constituem uma das melhores coisas da série. Ri muito das que envolvem Kara, a garota de quem Jim era babá. Rolei de rir com a briga entre o namorado dela (e seus amigos) contra Jim, Stifler e cia. Também foi bom rever personagens carismáticos como Michelle, o pai de Jim e, é claro, "Stifmeister", o eterno adolescente!
P.S.: Adorei o fato de tocarem "Laid" (James) no final do filme. Auto-referência tanto ao enredo quanto à década...


28/10 - Vettel venceu o  GP da Índia; Alonso ficou em 2º. Com isso, a vantagem do alemão aumentou para 13 pontos.

30/10 - Aula muito boa de Teoria Política 2 sobre o "Manifesto do Partido Comunista" (Carlos Marques e Frederico Anjos).

1º/11 - Eu, a Carol e uma amiga dela fomos a um show dos Titãs na Fundição Progresso. Eu já havia ido a uma apresentação dos titânicos em maio, no Circo Voador, mas não perderia a chance de vê-los tocando com os ex-membros Charles Gavin e Arnaldo Antunes. Apesar de um problema técnico que ocorreu bem no início do show, quando tocavam "Aluga-se", a banda não desanimou e fez uma performance histórica. Foram 27 músicas (na verdade 29, pois tocaram "Bichos Escrotos" e "AA UU" duas vezes), sendo 11 do disco "Cabeça Dinossauro". Aproveitaram bem a participação especial de Arnaldo, pois o ex-titã cantou cinco músicas: "Comida", "O Pulso", "Lugar Nenhum", "Porrada" e, no bis, improvisou "O Quê". Dentre outros clássicos da banda, destaque para "Diversão", "Nem Sempre Se Pode Ser Deus", "Televisão" e "Pra Dizer Adeus" (em versão com guitarras).




2/11 - Eu, a Carol e a irmã dela fomos à Wonka Party. A festa foi eclética, no bom e no mau sentido. Se por um lado tocaram até música de novela das 7 (!), por outro pude dançar canções de que gosto muito, como "What You Know" (Two Door Cinema Club), "Come Together" (Beatles), "Bigmouth Strikes Again" (Smiths) e "Beautiful Ones" (Suede). 

4/11 - Belíssima corrida de F1 em Abu Dhabi, cheia de reviravoltas. Raikönnen voltou a vencer após 3 anos, com direito a tirar a equipe pelo rádio ("Me deixem em paz, eu sei o que estou fazendo"). Vettel largou em último e terminou em 3º, impedindo assim que a vantagem dele para Fernando Alonso (que terminou em segundo lugar) caísse muito: foi para 10 pontos. 
Comecei a minha jornada em "Pokémon Black 2". Pelo visto o 9,6 da IGN soa mais próximo da verdade do que o 6,5 dado pela Gamespot, pois o game é mesmo incrível, estando à altura de seu antecessor. O enredo pode não ser tão profundo, mas as novidades (dentre elas, a inclusão de vários pokémons das gerações anteriores - já no início da jornada é possível capturar os saudosos Mareep e Riolu!) compensam isso.

6/11 - Dia das eleições americanas. Eis o que postei na minha timeline do Facebook:
"Embora meu candidato ideal nas eleições americanas seja Gary Johnson (Libertarian Party), dentre os dois únicos com chances reais de vencer declaro meu apoio a Mitt Romney.
Não nego que Romney tenha seus defeitos (p.ex., suas posições ambíguas quanto ao plano de saúde), mas ainda assim ele seria um melhor presidente para os EUA do que Barack Obama, que fez um governo medíocre e não muito diferente do que Bush lhe legara.
Ao contrário de Obama, o candidato republicano entende que é preciso reduzir tanto os impostos quanto os gastos públicos, e não o contrário. Sua política externa para a América Latina, principalmente no que diz respeito ao livre-comércio, também me agrada mais. Mesmo o seu conservadorismo moral (p.ex., quanto ao aborto) é moderado, se comparado com o de outros pré-candidatos do GOP."


Tive uma ótima aula de TP2 sore Stuart Mill; no final, o professor afirmou que "On Liberty" tem um apelo intelectual enorme, mesmo para os que não são liberais.
Passei a noite e a madrugada acompanhando a apuração eleitoral nos EUA. Em torno da 1 da manhã (horário de Brasília), ficou claro que Obama vencera na Flórida, acabando assim com a última chance de Romney. Enfim, os americanos devem saber o que estão fazendo ao manter seu presidente show-man...

9/11 - Aula sobre Pareto em TP2; o professor revelou um lado dele que eu não conhecia. Sua teoria das elites é menos conservadora do que se costuma dizer: " A modernidade é a sociedade de mercado, que pressupõe rápida circulação de elites. (...) [Elas] degeneram quando a circulação é lenta. (...) Aristocracias não duram .
Eu e minha namorada ressuscitamos uma atividade que eu costumava fazer com o pessoal dos Estudos Humanistas até ano passado: os colóquios semanais. O nosso foi primeiro foi sobre o filme "Os Sete Samurais" (apresentação dela) e "A História Trágica do Doutor Fausto" (a minha). Gostei da experiência, e acho que terá continuidade.

11/11 - Eu e a Carolina nos encontramos no Leblon; aliás, foi a 1ª vez que fui em tal bairro. Almoçamos comida japonesa, e passamos a tarde na Livraria Travessa. Após um ano flertando com este livro, finalmente comprei "Schopenhauer e Nietzsche" (Georg Simmel).
No fim da tarde, os gritos de "Gol!" da torcida tricolor me deram a notícia de que o Fluminense era campeão e o Palmeiras estava praticamente rebaixado. É uma pena que meu time do coração tenha que voltar à Série B após dez anos, mas isso é resultado do péssimo trabalho da diretoria, que criou um ambiente insustentável para jogadores e técnicos. Conquistar a Copa do Brasil foi um milagre, considerando este cenário hostil.
Ainda sobre futebol, à noite fui jogar bola com meus amigos do mestrado na praia de Copacabana. Eu não praticava tal tipo de atividade física há um ano e meio, e não demorou muito para sentir os efeitos disso, hehe: perdi o fôlego rápido, e estava vermelho antes mesmo de a primeira partida acabar. Espero que na próxima vez eu esteja menos despreparado...

13/11 - Após sete meses sem criar mixes no 8tracks, resolvi voltar à ativa com "College Rock". Selecionei trinta grandes canções do rock alternativo da década de 80 (exceto por uma ou outra do final dos 70's e início dos 90's). O termo "college rock" é adequado (e bacana) na medida em que define o público-alvo - e, em alguns casos, a matéria-prima - de várias dessas bandas: universitários. Para ouvir Replacements, Smiths, Talking Heads e muito mais, clique neste link.

16/11 - Aproveitando o feriado prolongado (15 a 20 de novembro), eu e Carol viajamos para Petrópolis. Subimos uma ladeira de 3,2 km para chegarmos à pousada na qual ficamos hospedados; foi uma verdadeira jornada! À noite assistimos a "Se Beber Não Case 2". O enredo é quase idêntico ao do do primeiro filme, mas a fórmula não esgotou; dei muitas gargalhadas.

17/11 - Pela manhã fomos ao centro da cidade, e visitamos dois monumentos: a Catedral de São Pedro de Alcântara (segundo a Carolina, ela é uma das pouquíssimas construções no Brasil com um estilo neogótico) e o Museu Imperial (meu espírito aristocrático foi reaceso). 
Começou a chover à tarde, e voltamos para a pousada. Revimos "Gran Torino", belo filme do Clint Eastwood.

18/11 - No domingo à tarde eu e ela estávamos de volta à capital do Rio de Janeiro. Gostei bastante de nossa 1ª viagem juntos.
O Grande Prêmio dos EUA de F1 foi muito bom. A decisão do tri entre Vettel e Alonso ficou para o GP do Brasil. Não sei pra quem torço; ambos merecem o título! Lewis Hamilton venceu a corrida no Texas, sua última vitória enquanto piloto da McLaren.
Gravei outro mix, desta vez com 20 canções retiradas de discos produzidos pelo genial Steve Albini. Entre os álbuns contemplados estão "In Utero" (Nirvana), "Rid of Me" (PJ Harvey) e "Surfer Rosa" (Pixies). Clique aqui para ouvi-lo.

19/11 - Comprei por apenas 17 reais no Baratos da Ribeiro um livro que jamais imaginaria encontrar, muito menos em uma edição bilíngue português-alemão: "Linguagem, Literatura, Bildung" (Wilhelm von Humboldt). Estou ansioso para ler os dois ensaios finais: "Teoria da formação do ser humano" e "Ação de uma força de espírito extraordinária - civilização, cultura e formação".
Fiz um passeio pelo centro da cidade com a Carol. Aproveitei para arrumar os meus óculos, que estavam com a armação quebrada desde agosto.
À noite fui com o Fernando, o Filipe e a Adriana na festa em homenagem ao Led Zeppelin no Bukowski Bar. A trilha sonora da noite foi bem legal: Morrissey, The Beatles, Rolling Stones, The B52's, New Order, The Cure, Hot Chip, Kaiser Chiefs, Queen/David Bowie ("Under Pressure"!), R.E.M., Titãs (tocaram "Diversão"! Tirando eu mesmo, nunca vi um DJ tocar esta música!), Engenheiros do Hawaii, Plebe Rude... e, é claro, Led!

20/11 - Finalmente venci a Elite Four e a campeã Iris em "Pokémon Black 2". Meu time vitorioso, com a exceção de Zoroark (que, por ser pokémon trocado, não posso dar nickname) tem nome de estrelas do Rock: Samurott (Roger W.), Ampharos (K. Cobain), Lucario (Iggy Pop), Espeon (Harrison). 
Porém, seguindo a tendência iniciada em "Fire Red/Leaf Green" e aprofundada nas versões para DS, há muito o que se fazer pós-Liga, o que eleva o fator replay do jogo ao infinito. Uma das minhas side-quests favoritas é o Pokémon World Tournament, no qual é possível enfrentar os líderes de ginásio e treinadores de elite das versões anteriores. Há torneios pra enfrentar líderes de cada um dos continentes antigos (Kanto, Johto, Hoenn e Sinnoh), um que mistura todo mundo, resultando em mais de 30 adversários possíveis (World Leaders), outro em que só se pode usar pokémons de 1 tipo (Type Expert) e, por fim, uma competição contra mestres como Red e Lance (Champions). A dificuldade do PWT é bem alta; estou tendo bastante trabalho para vencer cada uma dessas competições.

21/11 - Aula de Teoria Sociológica 2 sobre Foucault, o autor com a maior pulsão de Thanatos da ementa: "Fascinação pelo lado escuro; vida sem sentido, vazio, abismo. Sagrado negativo/diábolico, com influência de Bataille, o qual juntava o sublime com o escatológico, e falava em êxtase da depressão. [Foucault prega uma] mística da transgressão, atravessar todos os limites. (...) Destruir para abrir outro caminho. Ex.: a sexualidade dos 'backrooms'; sadomasoquismo."
No fim da noite vi Argentina 2x1 Brasil. Felizmente a seleção canarinho venceu nos pênaltis por 4x3. Neymar se redimiu do "complexo de Baggio" da semana anterior (isolara um pênalti contra a Colômbia), deixando este fardo para o hermano Montijo.

23/11 - Segundo colóquio, desta vez com eu falando sobre "A Teoria do Romance" (Lukács) e minha namorada fazendo uma apresentação sobre arquitetura gótica.

24/11 - Fui com a Carol no aniversário de uma amiga dela, em uma boate do Leblon chamada Melt. Dentre as várias conversas divertidas nessa noite, a melhor foi uma em que tentei defender "Sex and the City". (Porém, no final das contas, acho que "Girls" é a série que cumpre plenamente o que a sua antecessora se propõs a fazer)

25/11 - A temporada 2012 da Formula 1 terminou de forma espetacular. O imprevisível GP do Brasil coroou um dos melhores campeonatos da categoria nos últimos 20 anos.
Sebastian Vettel foi tricampeão com louvor; chegou a estar 40 pontos atrás de Alonso, mas venceu 4 corridas seguidas (Cingapura, Japão, Coréia e Índia) e administrou a vantagem nas três últimas provas. Ainda assim não foi fácil, pois como disse o jornalista Flávio Gomes, "Alonso tem pacto com o capeta. Foi ontem à noite a um pai-de-santo e comprou o pacote Platinum", pois só isso explica a maré de azar de Vettel durante a prova: "batida por trás na primeira volta, ficar na contramão de frente para o Petrov e o Karthikeyan, cair para último, pista seca e depois molhada de novo, rádio defeituoso, pit stop na hora errada, demora para trocar pneu, disputa com Kobayashi debaixo de tempestade e pódio garantido para o contratante."
Porém, o talento do piloto da Red Bull o fez superar todas as adversidades e, com muitas ultrapassagens, terminar a corrida em 6º, o bastante para levar o tricampeonato. Se existia alguma dúvida de que Vettel é um dos maiores pilotos de todos os tempos (e já conseguiu tudo isso com apenas 25 anos), ela foi dissipada hoje, embora já tivesse sido sanada no GP de Abu-Dhabi, quando largou em último e terminou em 3º.
Mais uma vez Fernando Alonso nadou, nadou, nadou e morreu na praia. Porém, isso não lhe tira mérito, só acrescenta; ele tirou tudo o que podia da Ferrari, mesmo quando o carro da equipe estava em seu pior momento. Não foi uma derrota amarga como aquela de 2010, quando tinha 15 pontos de vantagem para Vettel e levou a virada.
Prognósticos para 2013: o alemão e o espanhol proporcionarão mais uma bela disputa, mas eu ficaria de olho em Button (agora que será o piloto nº 1 da McLaren) e Räikkönnen (que, mesmo com a mediana Lotus, pontuou em 19 das 20 etapas e ficou em terceiro lugar no campeonato). As incógnitas são Hamilton (será que a Mercedes lhe dará um bom carro?) e Massa (reagiu e pontuou bastante na 2ª metade desse ano, mas poderá voltar a vencer e deixar de ser o capacho de Alonso?).
P.S.: Em sua última corrida, Schumacher deixou Vettel ultrapassá-lo sem grande resistência, anulando assim o jogo de equipe da Ferrari para favorecer Alonso. Que ironia do destino!


26/11 - Aula final de Teoria Política 2. O tema foi um dos livros que mais influenciou meu pensamento político: "O Caminho da Servidão" (Hayek). O prof. César apresentou uma boa chave de leitura, alegando que Hayek influenciara a visão institucionalista que viria a predominar nos anos seguintes, por meio do "neoliberalismo": "A criatividade humana exige que libertemos nossa espontaneidade, nossos demônios - nos limites da lei. (...) O bom planejamento é aquele em prol da concorrência, e não contra ela. (...) Hayek fez a grande defesa - e influenciou a práxis - do capitalismo moderno."

28/11 - Última aula de Teoria Sociológica 2, com a apresentação dos projetos de trabalho final. O título do meu é "As Vidas Paralelas de Lukács e Thomas Mann: do romantismo da desilusão ao humanismo engajado". Eis um trecho do meu resumo:
"O propósito deste artigo é operar um movimento triplo:
I) Narrar e comparar a trajetória de ambos, assim como suas respectivas transições ideológicas (Os Anos de Aprendizado);
II) Analisar a controvérsia sobre se Lukács seria ou não o “modelo vivo” para Naphta, o personagem jesuíta e comunista de “A Montanha Mágica” (Lukács como personagem de Mann);
III) Interpretar “Doutor Fausto” como síntese de sua época, nos passos do ensaio de Lukács sobre este romance, “Thomas Mann e a Tragédia da Arte Moderna” (Lukács como leitor de Mann)
."

Após a aula houve uma confraternização do pessoal da turma no bar e depois na sinuca. Foi uma boa despedida de semestre do IESP. Um dos melhores momentos do dia foi uma conversa filosófica entre eu e o Hugo sobre cultura pop: Spider Man, "Community", Pokémon...
Quatro dias após a demissão de Mano Menezes, foi escolhido o novo técnico da seleção: Felipão. Ótima notícia, pois gosto muito dele; quem sabe eu voltarei a me empolgar com o time do Brasil, o que não me ocorre desde 2005.

29/11 - Pela manhã minha namorada perguntou se podíamos ir ao cinema. Topei, e sugeri que fôssemos ver "Moonrise Kingdom", o novo filme de Wes Anderson.
Aproveitei para finalmente ver "The Fantastic Mr. Fox", que estava há séculos no meu notebook. Mr. Fox é extremamente carismático, e a dublagem de George Clooney ficou muito boa. A mescla de humor e aventura, com uma leve pitada de drama existencial ("And if they aren't completely knocked out and dazzled and slightly intimidated by me, I don't feel good about myself"), foi bem-sucedida. Também gostei do amadurecimento dos personagens, especialmente Ash. A trilha sonora é repleta de rock clássico: Rolling Stones, Bobby Fuller Four, Beach Boys... E preparem-se para uma cameo appearance de Jarvis Cocker! Por fim, cabe dizer que  a cena do lobo é certamente a mais impressionante do filme.
À noite fomos ver "Moonrise Kingdom". Outra película maravilhosa, talvez a melhor de 2012 (ao lado de "As Vantagens de Ser Invisível") e do próprio Anderson. Os protagonistas são e Sam e Suzy, duas crianças de 12 anos adoravelmente psycho (duas palavras: tesoura ensanguentada). O filme é envolvente, tem uma fotografia maravilhosa, personagens cativantes (destaque para Edward Norton como líder de escoteiros) e várias cenas cômicas, dentre elas esta, ao som de "Le Temps De L'amour" (Françoise Hardy):



30/11 - Criei um novo mix pelo 8tracks: Art Rock. Rock 'n' roll com pretensões artísticas, seja nas letras ou na melodia. São trinta canções, e a seleção é bem variada: Pink Floyd, Mutantes, David Bowie, Blur, Radiohead, MGMT...
3º colóquio, com uma apresentação minha sobre "Fedro" (Platão) e da Carol sobre "Os Três Estigmas de Palmer Eldritch" (Philip K. Dick). Entre a paidéia e a ficção científica, posso dizer que foi uma noite bem proveitosa no Starbucks. Aliás, apreciei muito o"Fedro"; incrível como em um só diálogo Platão tratou de temas instigantes como o amor, a oratória/retórica e a formação filosófica.

 

Comentários:

 

 

[url=http://www.freewebs.com/biaxinclarithromycin/]biaxin online
[/url][url=http://www.freewebs.com/online-biaxin/]clarithromycin 500 mg
[/url][url=http://www.freewebs.com/buy-sustiva-efavirenz/]purchase Efavirenz
[/url][url=http://www.freewebs.com/buy-asacol-mesalamine/]pentasa online
[/url]


Postar um comentário

[ << Home]